segunda-feira, 10 de Janeiro de 2011

Juro por minha honra ...



Como se pode ver, ouvir ou ler aqui o Presidente da República, e agora candidato presidencial, Cavaco Silva ao ser abordado por uma mulher que se queixou de não ter dinheiro para alimentar o filho recomendou que esta procurasse "uma institução de solidariedade que não seja do Estado".
 
A Constituição Portuguesa no seu Artigo 63.º (Segurança social e solidariedade) diz que "todos têm direito à segurança social" e que "o sistema de segurança social protege os cidadãos na doença, velhice, invalidez, viuvez e orfandade, bem como no desemprego e em todas as outras situações de falta ou diminuição de meios de subsistência ou de capacidade para o trabalho".

Ainda diz que "incumbe ao Estado organizar, coordenar e subsidiar um sistema de segurança social unificado e descentralizado".

No Artigo 127.º (Posse e juramento) é dito que no acto de posse o Presidente da República eleito prestará a seguinte declaração de compromisso:

"Juro por minha honra desempenhar fielmente as funções em que fico investido e defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa".

Logo me leva a dizer que Cavaco Silva em face de uma Portuguesa necessitada demonstra que ou não é um homem de honra e cumpridor do seu juramento ou simplesmente deconhece a constituição que jurou defender, cumprir e fazer cumprir.

Ou são estas as conquistas que os Portugueses conseguiram com o 25 de Abril que Cavaco Silva e o PSD querem eliminar da Constituição?

E será ainda que Cavaco Silva considera que é mais importante o Estado gastar o dinheiro a salvar os bancos onde investe as suas "poupanças"?

Recordo que em situações de necessidade extremas como esta já na nossa terra outros responsáveis da mesma cor política responderam a Marcoenses como Nós que deveriam recorrer a emprêstimos bancários. E antes que digam que estou a mentir recordem-se da última Assembleia Municipal.

1 comentário:

  1. "Eles mentem, eles perdem"...
    Esta frase constava de um cartaz, divulgado em toda a Europa, na respectiva língua, quando os "grandes" do Mundo se reuniram nos Açores, para declarar a 2ª Guerra do Golfo. Foi feito por vários partidos de Esquerda e falava da mentira, provada logo depois, da existência de armas de destruição massiva no Iraque.
    Isso aconteceu, por exemplo, com Aznar, em Espanha...
    Para a situação agora reportada, apetecia-me dizer "Eles são ignorantes, eles perdem"...
    Que Cavaco Silva não saiba as competências do seu cargo e dele tenha uma visão minimalista, não me surpreende. Só um doentio defensor do Estado "não social" consegue ser ignorante, ao ponto de não dizer à Senhora que o interpela, para se dirigir ao Serviço Local da Segurança Social do Concelho onde mora, para ser encaminhada...; mas o Candidato Cavaco resolveu dar uma "lição" de Estado "não social".
    O PSD do Marco e Manuel Moreira não me surpreendem, no actual estado de evidente desnorte. Dizer a pessoas com problemas sociais que vão ao banco pedir dinheiro é digno de um "cabo de esquadra"...; não saberão que quem está nessa situação já não tem essas benesses ? Mesmo não sabendo, não têm no tal Gabinete de Acção Social, ou na sua Colega de Vereação com este Pelouro, uma voz que o ilumine ?
    "Eles são ignorantes, eles perdem..."
    Assim fosse !

    ResponderEliminar